Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/8925
Title: Cultura de segurança do doente em contexto hospitalar
Authors: Rodrigues, José Pedro dos Santos
Advisor: Pereira, Maria Da Conceição Alves Rainho ...
Keywords: Cultura de segurança
Qualidade
Personalidade resistente
Issue Date: 5-Sep-2018
Abstract: Introdução: A cultura de segurança do doente assume uma preocupação crescente na sociedade. Na área da saúde, a prestação de cuidados é um processo complexo que exige a análise da origem do evento adverso e é cada vez mais reconhecida a necessidade de ações que promovam a segurança dos doentes e a qualidade dos cuidados de saúde. Objetivos: O objetivo do presente estudo é avaliar as múltiplas dimensões da cultura de segurança do doente, a sua relação com os fatores humanos, socioprofissionais/demográficos e de personalidade. Metodologia: É um estudo descritivo-correlacional, de corte transversal, com abordagem quantitativa. Participaram 1056 profissionais de saúde do Centro Hospitalar de Trás os Montes e Alto Douro EPE, com uma média de idades de 42,2 anos e desvio-padrão 9,5, dos participantes a maioria é do sexo feminino (73,8%), 45,8% são enfermeiros, 51,6% detentores de licenciatura e 23,5% referiram uma especialidade. Foi aplicado o questionário Hospital Survey on Patient Safety Culture e a escala da Personalidade Resistente. Resultados: Os resultados relativos às dimensões da cultura de segurança do doente permitiram observar uma relação estatisticamente significativa entre: o trabalho em equipa e as expectativas do supervisor/gestor com as horas de trabalho semanal e o número de utentes que atende diariamente; também foi evidente a relação estatística e significativa entre o apoio à segurança do doente pela gestão e as horas de trabalho semanal, assim com a frequência de trabalho semanal superior a 8 horas; entre a aprendizagem organizacional - melhoria contínua e a abertura na comunicação e a idade, os anos de serviço na profissão, e o número de utentes que atende diariamente; feedback e a comunicação acerca do erro relacionam-se significativamente com a idade, com o número de utentes que atende diariamente; as perceções gerais sobre a segurança do doente, a frequência da notificação de eventos e o trabalho entre as unidades com as horas de trabalho semanal; a dotação de profissionais com os anos de serviço na profissão, com as horas de trabalho semanal, com frequência de trabalho semanal superior a 8 horas seguidas e com o número de utentes que atende diariamente; a dimensão transições com as horas de trabalho semanal, com frequência de horário semanal superior a 8 horas e com o número de utentes que atende diariamente; e a resposta ao erro não punitiva com o tipo de horário. A frequência de formação sobre segurança do doente apresenta relação estatisticamente significativa com todas as dimensões As dimensões compromisso e desafio da personalidade resistente, mostraram correlações positivas e significativas com as doze dimensões de cultura de segurança do doente, em contrapartida foram negativas quando relacionadas com dimensão a falta de controlo. Conclusões: Na gestão de equipas de saúde é essencial o reforço de estratégias de sensibilização, motivação e formação de profissionais, no sentido de desenvolver competências em segurança do doente e gestão de risco. Criar mecanismos de comunicação organizacional eficazes para otimizar a melhoria contínua dos cuidados prestados a partir da identificação e análise do erro.
Introduction: The culture of patient safety is a growing concern in society. In the area of health, the provision of care is a complex process that requires the analysis of the origin of the adverse event and is increasingly recognized the need for actions that promote patient safety and quality of health care. Objectives: The objective of this study is to evaluate the multiple dimensions of culture of patient safety, its relationship with the human factors, socioprofessional/demographic and personality. Methodology: It is a descriptive-correlational, cross-sectional study, with a quantitative approach. 1056 attended by health professionals from the Centro Hospitalar de Tras os Montes and Alto Douro E.P.E., with an average age of 42,2 years and standard deviation 9,5, of participants, the majority are females (73,8%), 45,8% nurses, 51,6% degree holders and 23,5% reported a skill. The questionnaire was applied Hospital Survey on Patient Safety Culture and the Personality Scale Resistant. Results: The results relating to the dimensions of patient safety culture allowed to observe a statistically significant relationship between: the teamwork and the expectations of the supervisor with the weekly working hours and the number of users that meets daily; it was also evident and significant statistical relationship between support for patient safety by management and the weekly working hours, as well as the frequency of weekly working hours exceed 8 hours; between the organizational learning - continuous improvement and openness in communication and age, years of service in the profession, and the number of users that meets daily; feedback and communication about the error relate significantly with age, with the number of users that meets daily; the general perceptions about the safety of the patient, the frequency of notification of events and the work between the units with the weekly working hours; the appropriation of professionals with years of service in the profession, with the weekly working hours, with a frequency of weekly working hours exceed 8 hours followed and with the number of users that meets daily; The size transitions with the weekly working hours, with frequency of weekly hours exceeding 8 hours and with the number of users that meets daily; and the response to the Non punitive error with the type of zone. The frequency of training on patient safety presents a statistically significant relation with all dimensions. The dimensions of commitment and challenge of resistant personality, showed positive and significant correlations with the twelve dimensions of patient safety culture, on the other hand were negative when related to size the lack of control. Conclusions: In the management of teams of health is essential to the strengthening of strategies of awareness, motivation, and training of professionals in order to develop skills in patient safety and risk management. Create effective organizational communication mechanisms, to optimize the continuous improvement of care from the identification and analysis of the error.
Description: Dissertação de Mestrado em Gestão dos Serviços de Saúde
URI: http://hdl.handle.net/10348/8925
Document Type: Master Thesis
Appears in Collections:DESG - Dissertações de Mestrado
TD - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação de Mestrado em Gestão dos Serviços de Saúde.pdf5,57 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.