Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10348/9010
Registo completo
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorMarques, Carlos Duarte Coelho Peixeirapt_PT
dc.contributor.authorMarques, Carla Susana Da Encarnaçãopt_PT
dc.contributor.authorCarvalho, Danielapt_PT
dc.date.accessioned2019-01-09T15:27:05Z-
dc.date.available2019-01-09T15:27:05Z-
dc.date.issued2018-
dc.identifier.isbn978-84-943471-8-4-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10348/9010-
dc.description.abstractHá um escasso conhecimento sobre o papel do sistema afetivo nos processos que conduzem à motivação e à intenção empreendedora, já que, apesar de os modelos de predição do comportamento orientado para metas incluírem emoções relacionadas com eventos futuros, a sua aplicação aos desejos e intenções de criar empresas é praticamente inexistente. Atendendo a este hiato, o objetivo deste estudo é compreender a influência das emoções orientadas para o futuro na formação da intenção empreendedora de estudantes de cursos profissionais nas áreas de hotelaria e turismo. O modelo de análise elaborado considera a influência de dois tipos de emoções associadas a eventos. As emoções antecipatórias são sentidas no momento presente em função da perceção da possibilidade ou probabilidade de ocorrência de um evento futuro. São positivas ou negativas, consoante esse evento seja ou não desejável. As emoções antecipadas são previsões ou antecipações afetivas que o indivíduo mobiliza para avaliar a desejabilidade de eventos futuros. Elas são positivas quando referentes à ocorrência de eventos desejáveis ou à evitação de eventos indesejáveis e são negativas quando se referem à não ocorrência de eventos desejáveis ou à confirmação de eventos indesejáveis. O modelo considera como variáveis dependentes três tipos de volições relacionadas com empreendedorismo: intenção de ser empresário; desejo de criar uma empresa; intenção de abrir uma empresa quando terminar o curso. Os resultados mostram que os formandos têm sentimentos mistos quanto à atividade empreendedora. No entanto, as emoções negativas não têm efeitos assinaláveis sobre as suas intenções relativas a essa atividade. Só as emoções antecipatórias positivas (i.e. otimismo e confiança relativamente aos resultados positivos da atividade) têm efeitos substanciais sobre os três tipos de volições. O artigo termina discutindo as implicações teóricas e práticas destes resultados.pt_PT
dc.language.isoporpt_PT
dc.publisherGarcía de Soto Camacho, Helena, Ferradás Moreira, Enrique and Mancha Castro, Jose Carlospt_PT
dc.relation.ispartofCETRAD - Centro de Estudos Transdisciplinares para o Desenvolvimentopt_PT
dc.rightsclosedAccesspt_PT
dc.titleO papel das emoções antecipadas e antecipatórias na formação da intenção empreendedora dos estudantespt_PT
dc.title.alternativeEconomía Empresarial: Tendencias de Investigaciónpt_PT
dc.typeconferenceObjectpt_PT
degois.publication.locationHuelvapt_PT
degois.publication.titleXX Seminario Luso-Español de Economía Empresarialpt_PT
Aparece nas colecções:DESG - Livro de Ata de Conferência

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
SECHS_418111315590.pdf
  Restricted Access
538,96 kBAdobe PDFVer/Abrir Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.