Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/9097
Title: Mamites causadas por Prototheca spp. em ruminantes na Ilha de São Miguel nos Açores
Authors: Figueiredo, Rui Carlos Paula
Advisor: Coelho, Ana Cláudia Correia
Esteves, Alexandra Sofia Miguens Fidalgo
Keywords: mamite
glândula mamária
inflamação
células somáticas
Açores
Prototheca spp
Issue Date: 9-Jan-2019
Abstract: Para fazer face à necessidade do mercado em aumentar a produção de leite, nos últimos anos, as explorações de bovinos com aptidão leiteira têm apostado na seleção genética dos animais com melhores características para a produção de leite. Isto fez com que aumentasse a suscetibilidade dos animais para a ocorrência de mamite. Sendo esta a doença que mais impacto económico negativo tem numa exploração, não só pela diminuição da qualidade do leite, mas também a diminuição da quantidade que o animal produz, os custos veterinários, os intervalos de segurança a respeitar e porque este é um problema que pode causar o abate precoce do animal. O termo mamite refere a inflamação da glândula mamária em resposta à entrada de agentes patogénicos infeciosos através do canal do teto, podendo apresentar carácter subclínico (associada a maiores perdas de produção) ou clínico de acordo com os sinais clínicos que apresente. Além disto, pode também ser diferenciada entre aguda ou crónica de acordo com a sua duração no tempo e ainda de origem ambiental ou contagiosa tendo em conta a fonte de contaminação, o agente etiológico e a sua forma de transmissão. A maioria dos casos de mamite está associada a agentes bacterianos, no entanto esta pode também ter na sua etiologia outros agentes como fungos ou algas. Tendo em conta a sua etiologia multifatorial, é muito importante identificar todos os fatores de risco para a ocorrência de mamite em cada exploração para que se possa seguir um plano que vise diminuir a sua incidência por forma a tornar as explorações mais rentáveis, proporcionando também uma melhoria na saúde do úbere. O estudo apresentado visa identificar casos de mamite causados por algas do género Prototheca que são seres unicelulares de distribuição mundial, geralmente responsáveis pela ocorrência de mamite subclínica. Uma vez que este tipo de mamite representa perdas económicas significativas nas explorações é importante identificar o agente evitando aplicar planos terapêuticos desadequados, pois este agente apresenta-se resistente a antibióticos. Durante a realização do presente estudo, foram tratados dados relativos a 39 vacas diagnosticadas com mamite causada por Prototheca spp. na ilha de São Miguel nos Açores. Foi feita uma associação estatística entre os animais com resultado positivo e o ano, a altura do ano, os quartos afetados e a realização ou não de TCM. Assim, deferiu-se que a maior parte dos diagnósticos teriam sido obtidos em 2016 (28,2%) e em termos gerais nos meses de fevereiro (15,4%) e maio (15,4%). Foi realizado TCM em 71,8% dos animais, maioritariamente em maio (31,4%), a maioria com resultado de 2 (35,7%). Quase metade dos animais tinha apenas um quarto afetado (51,3%), sendo mais comum no quarto posterior direito (56,4%)
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária apresentada à Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
URI: http://hdl.handle.net/10348/9097
Document Type: Master Thesis
Appears in Collections:DCV - Dissertações de Mestrado
TD - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Versão Final- Rui Figueiredo 52541.pdf
  Until 2022-01-10
5,4 MBAdobe PDFView/Open Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.