Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/9110
Title: Quality of life and management of geriatric zoo mammals
Authors: Rebelo, Érica Muriel Palmeira
Advisor: Colaço, Bruno Jorge Antunes
Keywords: Geriatric
Quality of life
Morbidity
Demography
Mammals
Zoo
Issue Date: 15-Jan-2019
Abstract: Ensuring the well-being of a captive animal throughout its whole life is one of the major concerns of today’s zoological facilities. As a result of the growing concern and awareness about animal welfare and ethics, modern zoos evolved to put in first place species conservation, animal care and well-being. In addition to this paradigm shift, the last decades were also accompanied by a great scientific and technological evolution in the areas of Veterinary Medicine and Biology. These factors, among others, have led to an increase in animal longevity and, consequently, in the number of geriatric animals in the care of zoos. Every multicellular organism undergoes a gradual deterioration of its morphological and functional characteristics and mechanisms, called senescence. This aging process can have a negative impact on the body’s ability to withstand organ damage and return to homeostasis, leading to a number of degenerative age-related changes. By taking a demographic approach to quantify the representativeness of the geriatric mammal population in three zoological facilities, it was possible to determine that this demographic group represented, on average 13.84% of the total mammal population. A thorough analysis of geriatric morbidity and the age of diagnosis is required to improve the management and quality of life geriatric zoo mammals. To determine the pattern of morbidity of this demographic group, the prevalence and age at diagnosis of selected disorders was investigated, per taxonomic family. Musculoskeletal disorders represented the morbidity category with highest prevalence, followed by urinary system disorders. The prevalence of the selected disorders, as well as the proportion of deaths by euthanasia and non-euthanasia events, shows great variation between different taxonomic families. The most frequently over-looked antemortem diagnostics belonged to the hepatic, cardiovascular, urinary and neoplasia morbidity groups. The evaluation of quality of life in this context is an area of great interest, with constant development and conception of new methodologies. The aging process is, inevitably, accompanied by numerous biological changes that have the potential to affect an individual’s quality of life. It is, therefore, of utmost importance to systematically evaluate the quality of life of each animal in order to identify certain changes in the management of the collection, as well as assist decisionmaking regarding euthanasia. The assessment of quality of life of selected individuals was also carried out, by observation and behavior interpretation, which revealed to be a useful way of evaluating quality of life in geriatric individuals. This dissertation aims, first and foremost, to promote a greater awareness amongst the scientific and zoo communities regarding the management and veterinary care of geriatric zoo mammals, encouraging the investigation, discussion and implementation of guidelines to improve the quality of life of this demographic group. The data collected provides the veterinary team and animal care staff with an overview of the issues inherent to biological aging and allows the identification of potential measures and solutions regarding environment design, husbandry, nutrition and veterinary care to improve the management and quality of life of geriatric zoo mammals
Atualmente, a manutenção da qualidade de vida de um animal em cativeiro é umas das principais preocupações dos jardins zoológicos contemporâneos. A crescente preocupação e maior conscientização por parte da sociedade com aspetos ligados ao bem-estar animal levou a que os jardins zoológicos evoluíssem no sentido de colocar em primeiro lugar o bem-estar dos animais ao seu cuidado. As últimas décadas foram também acompanhadas por uma grande evolução científica e tecnológica nas áreas da Medicina Veterinária e Biologia. Estes fatores, entre outros, levaram a um aumento da longevidade e, consequentemente, do número de animais geriátricos ao cuidado dos jardins zoológicos. Todos os organismos multicelulares sofrem uma deterioração gradual dos seus mecanismos biológicos funcionais, designada de senescência. O processo de envelhecimento pode ter um impacto negativo nos mecanismos de controlo homeostático, levando a uma série de alterações degenerativas relacionadas com a idade. De modo a quantificar a representatividade da população geriátrica foi realizada uma análise demográfica da população de três coleções zoológicas distintas. Concluiu-se que os mamíferos geriátricos representavam uma parcela significativa da população de mamíferos total, com uma percentagem de 13.84%. O estudo da população geriátrica permitiu a identificação e descrição das morbidades por família taxonómica, assim como a determinação da idade de realização do diagnóstico das patologias selecionadas. Os distúrbios musculoesqueléticos foram a categoria de morbidade com maior prevalência, seguidos por distúrbios do sistema urinário. A prevalência das patologias selecionadas, bem como a proporção de óbitos por eutanásia e não-eutanásia, mostraram uma grande variação entre diferentes famílias taxonómicas. As patologias mais frequentemente não diagnosticadas antemortem pertenciam aos grupos de morbidade hepática, cardiovascular, urinária e neoplasia. A avaliação da qualidade de vida neste contexto é, portanto, uma área de grande interesse, com constante desenvolvimento e conceção de novas metodologias. Inevitavelmente, com o avançar da idade, os indivíduos experienciam inúmeras alterações biológicas que têm o potencial de afetar a sua qualidade de vida. A avaliação sistemática da qualidade de vida de cada animal é, portanto, de extrema importância de modo a permitir identificar determinadas modificações na gestão da coleção, assim como auxiliar a tomada de decisões relativamente à eutanásia. A abordagem desta temática visa promover uma maior sensibilização em relação aos cuidados de maneio e médico-veterinários dos animais incluídos neste grupo demográfico, incentivando a investigação, discussão e implementação de diretrizes para uma melhoria da qualidade de vida deste grupo demográfico. A informação contida na presente dissertação visa fornecer à equipa veterinária e de cuidado animal uma visão multidisciplinar em relação a questões intrínsecas ao envelhecimento biológico, a fim de identificar potenciais alterações nas instalações, procedimentos de maneio e nutrição, para melhoria da qualidade de vida da população em estudo.
Description: Dissertação de Mestrado em Medicina Veterinária apresentada à Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
URI: http://hdl.handle.net/10348/9110
Document Type: Master Thesis
Appears in Collections:DCV - Dissertações de Mestrado
TD - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Quality of Life and Management of Geriatric Zoo Mammals_EricaRebelo_FinalVersion.pdf
  Until 2022-01-16
1,64 MBAdobe PDFView/Open Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.