Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/9226
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCarnide, Valdemar Pedrosapt_PT
dc.contributor.advisorNeto, Maria Teresa Linopt_PT
dc.contributor.authorCarvalho, Márcia Raquel Gomes dept_PT
dc.date.accessioned2019-04-17T11:26:26Z-
dc.date.available2019-04-17T11:26:26Z-
dc.date.issued2018-12-19-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10348/9226-
dc.descriptionDoctoral Degree in Agricultural Production Chains - From Fork to Farmpt_PT
dc.description.abstractClimate change is considered as one of the major threats to agriculture sustainability and biodiversity. Drought is a severe environmental stress with major impacts on plant development and productivity. The use and improvement of crops with the ability to mitigate the effects of drought will be a key step for future crop sustainability. Cowpea (Vigna unguiculata L. Walp) is a warm-season grain legume, considered as an interesting crop, due to its high adaptability to heat and drought, as well as to its association with nitrogen fixing rhizobia. As other legumes, cowpea plays a major role in the global food security by providing an affordable dietary source of nutrients mainly proteins. The thesis main objective is to contribute for a higher cowpea production in Europe, anticipating the upcoming climate changes. To achieve this goal, multidisciplinary approaches were undertaken involving field trials and molecular genetics, physiology and biochemistry approaches. Regarding genetic diversity, the morphological and agronomical characterization of 24 Iberian Peninsula cowpea genotypes was performed, thus emphasizing the high genetic diversity among genotypes. From this characterization, ten cowpea genotypes were selected and further used for determining the stability of morphological and agronomical traits in three different environments (two in Portugal and one in Spain), during two consecutive years. A high interaction between genotype and environment was found and Elvas (Portugal) revealed to have the most appropriated environment for the production of this set of cowpea genotypes. The recently developed Cowpea iSelect Consortium Array (Illumina, Inc.) provided an excellent opportunity for further determination of cowpea genetic diversity. This array contains 51,128 SNPs and was used in a set of 96 cowpea genotypes, 43 of which from Iberian Peninsula and 23 from 22 other worldwide countries. Cowpea genotypes were clustered in four subpopulations, mainly differentiated by their geographical origin, allowing the suggestion of a new hypothesis about cultivated cowpea dispersion routes. Most of Iberian Peninsula genotypes and those from other Southern European and Northern African countries were grouped in the same subpopulation, indicating a high genetic similarity among them. However, three Iberian Peninsula cowpea genotypes did not belong to this subpopulation, being two of them classified as ‘admixed’ and another from a different subpopulation. These genotypes could be considered as interesting sources of diversity for future cowpea breeding programs. To get new insights on cowpea drought stress responses, the selection of the best approachesfor screening cowpea genotypes with enhanced drought tolerance is fundamental. Four cowpea genotypes (two Portuguese and two international tolerant references) were submitted to three different watering regimens, during 15 days. Several physiological, biochemical and molecular approaches were tested, revealing that stomatal function parameters, free proline and anthocyanins contents were the most effective in discriminating cowpea tolerance levels. Furthermore, two drought-related genes (VuCPRD14 and VuHsp17.7) were identified as the most effective for drought tolerance selection. For screening cowpea genotypes with enhanced drought tolerance, a worldwide collection of cowpea genotypes (58 genotypes) was tested for seed germination, seedling emergence and proline content under different osmotic potentials. A total of seven drought tolerant genotypes were suggested, which could represent starting material for future cowpea breeding programs. This thesis gave a good contribution for increasing cowpea production in Europe, being the selection of more productive and drought tolerant genotypes the first step. These genotypes could be integrated into breeding programs for enhancing cowpea resilience to climate change. Furthermore, the methodologies tested and proposed in this study allow an effective and fast screening of cowpea genotypes drought tolerance.pt_PT
dc.description.abstractAs alterações climáticas são consideradas uma das principais ameaças à sustentabilidade da agricultura e à biodiversidade global, sendo o stresse abiótico um dos seus maiores constrangimentos. A seca é um dos stresses ambientais mais severo e com um grande impacto no desenvolvimento e produtividade das plantas. A utilização e melhoramento de culturas com capacidade de mitigar os efeitos da seca assumem cada vez mais um papel relevante para o aumento da sustentabilidade das culturas. O feijão-frade (Vigna unguiculata L. Walp) é uma cultura de Primavera/Verão considerada muito versátil devido à sua capacidade de tolerar elevadas temperaturas e défice hídrico, tendo ainda a capacidade de fixar azoto atmosférico através da simbiose com bactérias Rhizobium. Como todas as leguminosas de grão, o feijãofrade possui um elevado valor nutritivo, em particular um alto teor em proteína, tornando-a assim importante na segurança alimentar global. O principal objetivo da tese é desenvolver estudos que venham a contribuir para uma maior produção de feijão-frade na Europa tendo em consideração as futuras alterações climáticas. Para atingir este objetivo desenvolveram-se estudos integrados que envolveram ensaios de campo e abordagens de genética molecular, de fisiologia e de bioquímica. Em relação à diversidade genética, foi realizada uma caracterização morfológica e agronómica de um conjunto de 24 genótipos de feijão-frade, da Península Ibérica, onde ficou evidenciada a elevada diversidade entre genótipos. Desta caracterização foram selecionados, com base em características morfológicas e agronómicas, os 10 genótipos mais promissores para ensaios comparativos que foram instalados, em três ambientes diferentes (dois em Portugal e um em Espanha), durante dois anos consecutivos. Este estudo revelou uma elevada interação entre genótipo e ambiente, verificando-se que Elvas (Portugal) é o ambiente mais adequado para a produção desta leguminosa. O recém-desenvolvido Cowpea iSelect Consortium Array (Illumina, Inc.) veio permitir uma avaliação mais precisa e pormenorizada da diversidade genética existente no feijão-frade. Esta metodologia, que contém 51.128 SNPs, foi utilizada em 96 genótipos de feijão-frade sendo 43 provenientes da Península Ibérica e os restantes de 22 países de todo mundo. Este conjunto de genótipos foram agrupado em quatro subpopulações diferenciadas principalmente pela sua origem geográfica. A maioria dos genótipos de feijãofrade da Península Ibérica foram agrupados numa única subpopulação juntamente com os de outros países do sul da Europa e do norte de África, indicando uma semelhança genética entre eles. Contudo, dois genótipos da Península Ibérica foram classificados como "admixed" e um terceiro pertencente a outra subpopulação. Estes genótipos podem ser considerados interessantes fontes de diversidade para futuros programas de melhoramento de plantas. Os dados agora obtidos com os SNPs conduziram ainda a novas indicações sobre as possíveis rotas de dispersão do feijão-frade cultivado. Para obter novos dados sobre as respostas do feijão-frade ao stresse hídrico foram analisadas diferentes metodologias para a seleção de genótipos de feijão-frade com maior tolerância à seca. Quatro genótipos de feijão-frade (dois portugueses e duas referências internacionais) foram submetidos a três regimes de rega durante 15 dias e o comportamento das plantas estudado a nível fisiológico, bioquímico e molecular. A condutância estomática, o conteúdo de prolina livre e de antocianinas foram as determinações mais eficazes na discriminação dos níveis de tolerância das plantas à seca. Para além disso, foi possível identificar os genes VuCPRD14 e VuHsp17.7 como sendo os que revelam maior expressão em condições de stresse hídrico. De forma a selecionar os genótipos de feijão-frade mais tolerantes à seca, uma coleção mundial de feijão-frade (58 genótipos) foi avaliada ao nível da germinação das sementes, emergência de plântulas e conteúdo de prolina livre sob diferentes potenciais osmóticos. Sete genótipos foram considerados tolerantes à seca podendo assim vir a ser incluídos em programas de melhoramento. Esta tese pretendeu oferecer uma contribuição para o aumento da produção de feijãofrade na Europa, para o qual a seleção de genótipos mais produtivos e tolerantes à seca foi o primeiro passo. Os genótipos selecionados podem vir a ser integrados em programas de melhoramento de forma a aumentar a resiliência do feijão-frade às alterações climáticas. Para além disso, disponibilizaram-se metodologias que permitem de uma forma expedita identificar os genótipos com maior tolerância à seca.pt_PT
dc.language.isoengpt_PT
dc.rightsclosedAccesspt_PT
dc.subjectcowpea genotypespt_PT
dc.subjectmorphological and agronomical traitspt_PT
dc.subjectSNP markerspt_PT
dc.subjectdrought stresspt_PT
dc.subjectscreening methodspt_PT
dc.titleGenetic diversity and molecular responses to drought stress in Vigna unguiculata L. Walp.pt_PT
dc.typedoctoralThesispt_PT
dc.identifier.tid101510950pt_PT
Appears in Collections:DAGRO - Teses de Doutoramento
TD - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Márcia Raquel Gomes de Carvalho.pdf8,85 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.