Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/9258
Title: Influência da inteligência emocional na gestão do conflito entre professor-aluno
Authors: Valente, Maria Sabina Madureira Nunes
Advisor: Monteiro, Ana Paula Dos Santos
Lourenço, Abílio Afonso
Keywords: Inteligência emocional
gestão do conflito
professores
alunos
escola
Issue Date: 24-Oct-2018
Abstract: O exercício da docência implica diariamente uma significativa carga emotiva, tanto pelo que exige de sensibilidade como pelo saber gerir corretamente as emoções, de modo a facilitar e otimizar a qualidade das relações interpessoais, intensas e contínuas, que caracterizam a sala de aula. Deste modo, os professores devem ser detentores de estratégias que conjuguem as necessidades de formação dos alunos e o imperativo de edificar a sala de aula como um espaço de paz, de empatia e de valorização, contribuindo desta forma para a diminuição do conflito na relação professor-aluno. A inteligência emocional, como matéria de investigação inserida em diferentes áreas, mas principalmente na educativa, é perspetivada em distintas dimensões: a perceção e compreensão dos professores sobre as emoções dos próprios e dos alunos; a capacitação para expressar corretamente as emoções e saber decifrar as expressões emocionais dos alunos; e a aplicação dessas perceções e expressões para lidar com as emoções, alcançando o objetivo de gerir situações complexas que surgem continuamente no contexto educativo. O aperfeiçoamento das capacidades da inteligência emocional auxilia os professores a lidar com as solicitações emocionais em sala de aula, sendo fundamental para encontrar a ordem e o equilíbrio, num processo e paradigma pedagógico verdadeiramente profícuo na orientação das decisões durante o conflito. Este constitui um repto nas escolas, atendendo a que o contexto escolar reflete constantemente a divergência de perspetivas sociais. Deste modo, a funcionalidade da organização escolar não se inscreve na ausência de conflitos, mas na utilização de estratégias apropriadas a uma gestão construtiva dos mesmos. A inteligência emocional amplifica as tendências dos indivíduos para a seleção de estratégias específicas na gestão do conflito, estando um alto quociente emocional associado a um maior sucesso na resolução de problemas; no entanto, apesar da pertinência do presente estudo, verifica-se uma ausência de investigações no que concerne à relação entre a inteligência emocional dos professores e as estratégias de gestão do conflito aplicadas na presença de conflito entre professor e aluno, em sala de aula. Assim, o principal objetivo desta investigação é conhecer qual a influência da inteligência emocional dos professores na gestão que fazem do conflito com os alunos, em contexto de sala de aula. Foram aplicados os instrumentos: o Questionário de Competências Emocionais e o Rahim Organizational Conflict Inventory-II, adaptados e validados nesta investigação, assim como o Questionário de Dados Pessoais e Profissionais, numa amostra de conveniência constituída por 745 professores do Ensino Básico e Secundário em Portugal. A análise das características psicométricas dos instrumentos revelou bons resultados, indicando que ambos apresentam bons índices de fiabilidade. Considerando as relações existentes entre os dois constructos, os principais resultados indicam que professores detentores de maior inteligência emocional utilizam estratégias de gestão do conflito mais integrativas e de compromisso, gerindo o conflito com os alunos de modo construtivo, beneficiando o processo de ensino e aprendizagem. Esta relação pode dever-se ao facto dos professores emocionalmente inteligentes, por possuírem mais capacidades para identificar as suas emoções e regulá-las de forma correta, conseguem adotar uma postura reflexiva perante as situações conflituais com que se deparam em sala de aula. Os resultados indicam ainda a inteligência emocional como um traço interpessoal implícito na melhoria das capacidades de resolução de conflitos requeridas no desempenho das tarefas de ensino. Assim, esta investigação pretende contribuir para a melhoria do conhecimento na temática da inteligência emocional, salientando os seus benefícios na gestão do conflito, dando suporte conceitual e evidência factual sobre a relação manifesta entre os dois constructos em estudo. A presença de professores emocionalmente inteligentes não significa que deixem de existir conflitos na relação professor-aluno, mas sim que prevaleça o saber gerir os conflitos de forma construtiva, beneficiando a formação dos alunos. Face aos resultados encontrados, considera-se a importância de políticas educativas e de práticas pedagógicas que valorizem a dimensão emocional do professor. Salientando que a inteligência emocional e a gestão construtiva de conflitos deve integrar a formação académica dos professores, convertendo-se num primeiro passo para outro ainda maior, a inclusão destas componentes no currículo nacional dos alunos.
The act of teaching involves a significant daily emotional component, due to the inherent sensitivity of the situation as well as a need for the adequate management of teacher and student emotions, in order to facilitate and optimize the intense and continuous interpersonal relations that typically occur in a school environment. Teachers must possess strategies that combine student learning requirements with the imperative to establish the school as a haven of peace, empathy and appreciation, thus contributing to reduce conflict in teacher-student relations. As a research subject pertaining to many fields and particularly in education, emotional intelligence can be perceived through different dimensions: teachers' perception and understanding of their own and students’ emotions; the ability to appropriately express emotions and to interpret the emotional expressions of students; and applying these perceptions and expressions in dealing with emotions, successfully managing complex situations that arise continuously in a school environment. Emotional intelligence skills enhancement helps teachers cope with emotional demands at school. It is critical in attaining order and balance in a truly productive teaching process and paradigm, and in guiding decisions during conflict. The challenge here is that the school environment constantly reflects the divergence of social perspectives. In this light, the functioning of school organisations does not hinge on the absence of conflict, but on the use of appropriate strategies for their constructive management. Emotional intelligence amplifies individual trends for the selection of specific conflict management strategies. A high emotional quotient is associated with greater success in problem solving. But despite the relevance of the present study, there is a shortage of research into the relation between teachers' emotional intelligence and conflict management styles applied to interpersonal teacher-student conflict in the classroom. The main purpose of this study is to shed light on the extent of teachers’ emotional intelligence in managing conflict with students in a classroom setting. The instruments used were: the Emotional Competency Questionnaire and the Rahim Organizational Conflict Inventory-II, adapted and validated in this research, as well as the Personal and Professional Data Questionnaire. They were applied to a random sample of 745 primary and secondary school teachers in Portugal. The psychometric characteristics analysis of the instruments revealed good results, showing that all three have good reliability indexes. Regarding the extent of the two constructs proportionately to each other, the main results indicate that teachers with higher emotional intelligence employ more integrated and cooperative conflict management strategies, managing conflict constructively. This ratio may be due to the fact that more emotionally intelligent teachers are able to adopt a reflexive attitude towards conflict they are confronted with, due to a greater ability to identify their emotions and adjust them appropriately. The results also demonstrate emotional intelligence is an inherent interpersonal trait in the improvement of conflictresolving skills required in a teaching environment. Consequently, this study aims to contribute to a deeper understanding of emotional intelligence and highlight its benefits in conflict management, providing conceptual support and factual evidence for the relationship between both constructs. The presence of emotionally intelligent teachers does not mean an absence of conflict in teacher-student relations, but that knowledge will prevail in constructive conflict management, benefiting student learning. Considering the results, the importance of educational policies and teaching practices that value the emotional dimension of the teacher can be concluded, emphasizing that emotional and constructive conflict management should integrate academic teacher training, a step towards the inclusion of these components in the national curriculum.
Description: Tese de Doutoramento em Ciências da Educação Especialização em Psicologia da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10348/9258
Document Type: Doctoral Thesis
Appears in Collections:DEP - Teses de Doutoramento
TD - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PhD_MSabinaValente.pdf
  Restricted Access
3,45 MBAdobe PDFView/Open Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.