Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/9529
Title: Correlation of vaginal cytology and reproductive tract ultrasonography in wild felids for oestrus cycle stage determination
Authors: Gonçalves, Sara Martins Dantas
Advisor: Carreira, Rita Maria Payan Martins Pinto
Lueders, Imke
Keywords: wild felids
reproduction
Issue Date: 15-Oct-2019
Abstract: Felids are top-down predators and keystone species to heathy ecosystems. The combination of human-animal conflicts, territory reduction and fragmentation with low population densities and loss of genetic diversity makes many wild cat species threatened or endangered. In the knowledge that many wild felids reproduce poorly and that reproduction is key to species survival, implementing artificial reproduction into conservation of these species is extremely important. For this to work, a deeper understanding of their reproductive physiology is needed. Assessment of the reproductive cycle in captive animals allows to collect data both for the practical implementation of assisted reproduction protocols and for research purposes. There are different techniques to assess the reproductive cycle of mammals. This study aimed to describe and correlate two techniques for collection of data for the reproductive cycle assessment in six different species of wild felids for which data was available (Panthera leo, Panthera pardus kotiya and P. pardus tulliana. Panthera uncia, Catopuma temminckii, Neofelis nebulosa and Acinonyx jubatus) namely using reproductive tract ultrasonography and vaginal cytology. The literature review shows that the domestic cat has been used as a model for the wild species of the same Family. It also reveals differences in their reproductive physiology that may be a cause for low success rates in implementing artificial reproduction techniques. During anaesthesia procedures, vaginal smears and transrectal ultrasound examinations were performed in 29 animals housed in zoos in Europe, Asia and a breeding facility in South Africa. The data was assessed separately and results revealed many commonalities between species and when compared to the literature. A method for identifying the phases of the reproductive cycle was created both for vaginal cytology, using the percentage of cornification of epithelium, and for ultrasonography, assessing the presence and size of follicles and corpora lutea in the ovaries. Then, where sufficient data existed, samples collected from the same animal were compared individually and the phase of the cycle was corrected. This study showed that a single vaginal cytology allows the differentiation between oestrus and non-oestrus phases in wild felids, but further differentiation is difficult. Transrectal ultrasonography proved to be a finer tool for predicting the cycle stage, however, transitioning phases were still ambiguous. Assessing together the vaginal cytology and ultrasonography allowed a more accurate cycle stage prediction. This was supported by the positive correlation found between the size of the biggest follicle and percentage of epithelial cornification in African lions (Panthera leo), r = .76, p = .030 (n = 8), and Asiatic golden cats (Catopuma temminckii), r = .89, p = .042 (n = 5).
Felinos são predadores de topo de cadeia alimentar e espécies fundamentais para ecossistemas saudáveis. A combinação de conflitos entre humanos e animais, redução e fragmentação de território com densidades populacionais baixas e consequente perda de diversidade genética fazem de muitas espécies de felinos selvagens animais ameaçados de extinção. Sabendo que muitos felinos selvagens têm baixos níveis de reprodução e que a mesma é fundamental para a sobrevivência de espécies, a implementação de técnicas de reprodução assistida na conservação destas espécies é extremamente importante. Para isso, um conhecimento mais profundo da sua fisiologia reprodutiva é necessário. A avaliação do ciclo reprodutivo de animais em cativeiro permite recolher dados tanto para a implementação prática de protocolos de reprodução assistida como para futura investigação científica. Existem diferentes técnicas para a avaliação do ciclo reprodutivo em mamíferos. Este estudo visou descrever e correlacionar duas técnicas para a recolha de dados para avaliar o ciclo reprodutivo em seis espécies de felinos selvagens para as quais foi possível recolher dados (Panthera leo, Panthera pardus kotiya e P. pardus tulliana. Panthera uncia, Catopuma temminckii, Neofelis nebulosa e Acinonyx jubatus), nomeadamente o uso de ecografia transretal do trato reprodutivo e citologia vaginal. A revisão de literatura mostra que o gato doméstico tem sido usado como modelo para espécies selvagens da mesma Família. Contudo, diferenças na fisiologia reprodutiva entre espécies foram reveladas, que podem ser a causa do baixo sucesso na implementação de técnicas de reprodução assistida. Durante procedimentos anestésicos, amostras de citologias vaginais e imagens ecográficas por via transretal foram recolhidas em 29 animais alojados em zoos na Europa, Ásia e África do Sul. As amostras foram avaliadas separadamente e resultados mostraram semelhanças entre espécies e quando comparadas com a literatura. Um método para identificar as fases do ciclo reprodutivo foi criado tanto para citologia vaginal, usando a percentagem de queratinização do epitélio, como para ecografia, tendo em conta a presença e tamanho de folículos e corpo lúteo nos ovários. Posteriormente, citologias e imagens ecográficas recolhidas do mesmo animal foram comparadas individualmente e a fase do ciclo foi corrigido. Este estudo mostrou que uma única amostra de citologia vaginal permite diferenciar estro de não-estro em felinos selvagens, embora uma diferenciação mais precisa seja difícil. Ecografia transretal revelou-se uma técnica mais precisa para prever a fase do ciclo reprodutivo, embora fases de transição continuam a ser ambíguas. A avaliação em conjunto da citologia vaginal e ecografia transretal permite uma diferenciação e previsão das fases do ciclo mais precisa. Isto foi suportado pela correlação positiva encontrada entre o tamanho do maior folículo e percentagem de queratinização do epitélio vaginal em Leão africano (Panthera leo), r = .76, p = .030 (n = 8), e Gato-bravo-dourado-da-ásia (Catopuma temminckii), r = .89, p = .042 (n = 5).
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10348/9529
Document Type: Master Thesis
Appears in Collections:DCV - Dissertações de Mestrado
TD - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Sara Martins Dantas Gonçalves.pdf1,67 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.