Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/9556
Title: Úlceras por pressão em contexto Comunitário no Agrupamento de Centros de Saúde Douro I - Marão e Douro Norte: fatores relacionados com o grau de risco e prevalência
Authors: Cigre, Andreia Isabel de Carvalho
Advisor: Carvalho, Amâncio António De Sousa
Keywords: Úlceras por pressão
Contexto comunitário
Issue Date: 3-Sep-2019
Abstract: Com o aumento da longevidade é de esperar que o número de utentes com úlceras por pressão ou em risco de as desenvolver aumente, o que implica que estratégias de prevenção sejam tomadas como medidas essenciais na diminuição da taxa de prevalência deste tipo de lesão. Tendo como premissa que grande parte pode ser prevenida, e apesar das inúmeras estratégias de prevenção e tratamento, o número de úlceras por pressão em contexto comunitário é uma realidade, funciona como indicador de qualidade dos serviços prestadores de cuidados e deve constituir um desafio diário aos profissionais de saúde. O objetivo delineado para este estudo foi identificar os fatores relacionados com o grau de risco e a prevalência de úlcera por pressão, em contexto comunitário, nos utentes dependentes do Agrupamento de Centros de Saúde Douro I - Marão e Douro Norte. Optamos por um estudo descritivo, transversal e de abordagem quantitativa, no qual foram incluídos 771 utentes, associados ao programa de saúde, dependentes e com avaliação de risco de úlcera por pressão na escala de Braden. Como instrumento de recolha de dados foi elaborado um formulário, preenchido pela investigadora, com base na documentação acessível no sistema de informação SClínico. Para o tratamento de dados, recorreu-se ao Statistical Package for the Social Science. O padrão do perfil sociodemográfico dos utentes desta amostra pode caracterizar-se por ser um indivíduo do sexo feminino (68,2%), do grupo etário dos idosos-idosos (≥ 85 anos) (45,1%), proveniente do Centro de Saúde de Vila Real II (24,4%) e do Centro de Saúde de Murça (22,7%). Uma ligeira maioria dos utentes da nossa amostra apresenta alto risco de desenvolver úlcera por pressão (52,1%), sendo a prevalência de úlcera por pressão de 11,2%. Caracterizam-se por estarem presentes, na sua maioria, 1-2 lesões (84,9%), em que a localização mais frequente é a região sacrococcígea (37,2%) e com a classificação predominante de categoria/grau III (40,0%). Não se constatou relação entre o grau de risco e o sexo (t: p≥0,129), a idade (ANOVA: p≥0,075) e a localização anatómica ( 2 : p0,133). O fator relacionado com o grau de risco identificado no presente estudo foi o Centro de Saúde de proveniência do utente (ANOVA: p as características sociodemográficas da amostra [sexo ( 2 : p0,713), idade ( 2 : p0,628), Centro de Saúde a que pertencia o utente ( 2 : p0,143)]. A prevalência de úlcera por pressão relaciona-se com as categorias de grau de risco e as suas dimensões ( 2 : p<0,000) exceto a dimensão Nutrição ( 2 : p0,825). Quanto ao diagnóstico de diabetes mellitus, não constatamos estar relacionado com a prevalência das úlceras por pressão ( 2 : p0,759). As principais limitações do estudo estão relacionadas com o facto de se tratar de um estudo transversal, que não pode estabelecer as relações causa-efeito e da amostra ser não aleatória, o que poderá ter fragilizado a representatividade na população, com repercussões na estatística inferencial. Tendo em conta que é mais fácil prevenir do que tratar, é fundamental definir protocolos, com base na evidência científica, em resposta às categorias de grau de risco obtidas na escala de Braden. É essencial que se identifiquem os indivíduos vulneráveis ao aparecimento de úlceras por pressão, assim como os fatores de risco para se poder adotar medidas de prevenção adequadas. As ações preventivas são fundamentais, e quando em conformidade com as boas práticas, sustentam decisões terapêuticas baseadas na evidência científica, contribuindo desta forma para a melhoria da qualidade dos cuidados e, consequentemente, da qualidade de vida do indivíduo/família.
With increasing longevity, it is expected that the number of patients with pressure ulcers or those at risk of developing ulcers will increase, implying that prevention strategies are taken as essential measures in reducing the prevalence rate of this type of injury. Based on the premise that much can be prevented, and despite numerous prevention and treatment strategies, the number of pressure ulcers in a community context is a reality, it serves as an indicator of the quality of care services and should be a daily challenge to Health professionals. The objective of this study was to identify factors related to the risk and prevalence of pressure ulcer, in a community context, in the users of the Douro I - Marão e Douro Norte Health Centers Group. We chose a descriptive, cross-sectional and quantitative approach, in which 771 patients were enrolled, associated with the dependent health program, and with a Braden scale of pressure ulcer. As a data collection instrument, a form was prepared, completed by the researcher, based on the documentation accessible in the SClínico information system. For the processing of the data we used the Statistical Package for the Social Science. The pattern of the sociodemographic profile of the users of this sample can be characterized as a female (68.2%), elderly (aged ≥ 85 years) (45.1%), from Health Center of Vila Real II (24.4%) and from Health Center of Murça (22.7%). A slight majority of patients in our sample are at high risk of developing pressure ulcers (52.1%), with a prevalence of 11.2%. They are characterized by the presence of 1-2 lesions (84.9%), with the most frequent location being the sacrococcygeal region (37.2%) and with the predominant category/grade III classification (40.0%). No relationship was found between the degree of risk and sex (t: p≥0.129), age (ANOVA: p≥0.075) and anatomical location ( 2 : p≥0.133). The factor related to the degree of risk identified in the present study was the health center of origin of the patient (ANOVA: p<0.000). We did not verify the existence of a relationship between the prevalence of pressure ulcer and the sociodemographic characteristics of the sample [sex ( 2 : p≥0.713), age ( 2 : p≥0.628), health center to which the patient belonged ( 2 : p≥0.143)]. The prevalence of pressure ulcer is related to the degree of risk categories and their dimensions ( 2 : p<0.000) except for the Nutrition dimension ( 2 : p≥0.825). Regarding the diagnosis of diabetes mellitus, we did not find it to be related to the prevalence of pressure ulcers ( 2 : p≥0.759). The main limitations of the study are related to the fact that this is a cross-sectional study, which cannot establish cause-effect relationships and the sample is non-random, which may have weakened representability in the population, with repercussions on inferential statistics. Given that it is easier to prevent than to treat, it is crucial to define protocols, based on scientific evidence, in response to the categories of degree of risk obtained on the Braden scale. It is essential that individuals vulnerable to the appearance of pressure ulcers be identified, as well as the risk factors for adopting appropriate prevention measures. Preventive actions are fundamental, and when in accordance with good practices, they support therapeutic decisions based on scientific evidence, thus contributing to the improvement of the quality of care and consequently the quality of life of the individual/family
Description: Dissertação de Mestrado em Enfermagem Comunitária
URI: http://hdl.handle.net/10348/9556
Document Type: Master Thesis
Appears in Collections:DESMC - Dissertações de Mestrado
TD - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Andreia Isabel de Carvalho Cigre.pdf2,62 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.