Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10348/5684
Título: A repetição como organizadora do tópico discursivo na conversação entre afásicos e não afásicos em situação interativa
Autor: Tagliaferre, Rita de Cássia Silva
Orientador: Morais, Maria da Felicidade Araújo
Morato, Edwiges Maria
Palavras-chave: Afasia
Interação
Repetição
Tópico discursivo
Data: 4-Abr-2016
Resumo: No presente trabalho, analisamos o estatuto linguístico-interacional da repetição na linguagem de afásicos e não afásicos destacando as formas e as funções da repetição como fator de organização do tópico discursivo. O corpus desta pesquisa foi coletado no Centro de Convivência de Afásicos (CCA) que funciona no Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas (IEL-UNICAMP, Brasil). É um espaço de interação entre afásicos e não afásicos, em que, por meio de encontros semanais, atualizam-se as diversas práticas com a linguagem, mobilizando recursos pragmáticos, textuais e discursivos, tornando significativas as rotinas de vida dos sujeitos afásicos. É nosso objetivo discutir a tese de que a repetição está ao serviço da organização do discurso na linguagem dos sujeitos afásicos, cumprindo funções similares às que realiza no discurso de não afásicos. Nesse sentido, os resultados dessa investigação podem contribuir para os estudos neurolinguísticos sobre as afasias. Na senda de Marcuschi, interpretamos como repetição a recorrência de segmentos discursivos iguais ou similares em um mesmo evento comunicativo. Nesta perspectiva, a repetição é um fenômeno de ordem textual-interativa, vinculado aos processos normais de interação, gestão e progressão conversacional, característica essencial da interação verbal, bem como da produção linguística resultante dessa interação, seja esta dialógica ou monológica. Consideraremos o tópico discursivo atendendo às suas propriedades fundamentais, a centração e a organicidade – a primeira, relativa ao conteúdo, aquilo ―acerca de que se fala‖; a segunda, relativa à organização, ao ―como se fala‖. Partindo da hipótese de que os sujeitos afásicos não deixam de ser competentes do ponto de vista pragmático, os resultados evidenciam que a repetição corresponde a necessidades específicas da comunicação: os afásicos repetem porque a repetição cumpre funções no discurso, não propriamente em decorrência da afasia. A estratégia metodológica consiste na investigação longitudinal e qualitativa das ocorrências das repetições nas práticas conversacionais de sujeitos afásicos e não afásicos, privilegiando suas implicações para a emergência, a manutenção e a reorganização comunicativa dos tópicos discursivos. Compreendemos que, por meio dessas práticas, o afásico se insere nas mais diversas atividades sociais e que ações inclusivas como essas diminuem seu isolamento social. Assim, mesmo com as dificuldades impostas pela afasia, esses sujeitos são capazes de interagir de forma dinâmica nas mais diversas situações conversacionais. Percebemos, através de nossas análises, que os afásicos não perderam sua competência textual-interativa com a patologia, reconhecem e contribuem para a configuração textual-interativa da conversação e que a repetição, tanto no contexto patológico como no não patológico, funciona como organizadora do tópico discursivo em andamento, contribuindo assim para a coerência do texto.
In this study we will analyze the linguistic and interactional status of repetition in the language of aphasic and not aphasic people emphasizing the shapes and functions of repetition as a factor of organization of the discursive topic. The corpus of this research was collected in the Center of Coexistence of Aphasic Subjects (CCA) which works in the Institute of Studies of Language (ISL-UNICAMP - Brazil). It is a space for interaction between aphasic and non aphasic subjects, where through weekly meetings they put into practice the various practices with the language, mobilizing the pragmatic, textual and discursive resources, making significant the routines of life of the aphasic subjects. In this sense the aim is to contribute to the neurolinguistic studies defending the thesis that repetition is at the service of the organization of the speech in the language of aphasic subjects. In the way of Marcuschi, we understand the repetition as equal or similar discursive segments produced two or more times on the same communicative event. In this perspective, repetition is a phenomenon of textual-interactional order, not a phenomenon detached from the normal processes of interaction, management and conversational progression; it is an essential feature of verbal interaction, as well as the linguistic production resulting in this interaction, either in dialogical or monological form. We will take the discursive topic based on its fundamental properties, the centration and the organicity – the first one is concerning to the content, ―what is talked about‖, the second one is relative to the organization, to ―how it is spoken‖. Thus, on the assumption that the aphasic subjects do not stop being competent in the pragmatic point of view, the results show that repetition corresponds to the specific needs of language, the aphasic subjects repeat because the specificity of language allows, not because of aphasia specifically. The methodological strategy consists of longitudinal and qualitative investigation of the events of repetitions in conversational practices of non aphasic and aphasic individual, focusing on their implications for the maintenance, the emergency or the communicative reorganization of discursive topics. We understand that through these practices the aphasic subject is inserted in various social activities and that inclusive actions as these decrease the social isolation of the aphasic subject, even with the difficulties imposed on the situation of the aphasic subjects, these individual are able to interact dynamically in different conversational situations. We realized through our analysis that the aphasic subjects have not lost their textual-interactive competence with the pathology, recognize and contribute to the textual-interactive configuration of conversation and that repetition both in the pathological context as in the not pathological one, functioning as organizer of the discursive topic in progress, thereby contributing to the coherence of the text.
Descrição: Tese de Doutoramento em Ciências da Linguagem, Especialização em Linguística Textual
URI: http://hdl.handle.net/10348/5684
Tipo de Documento: Tese de Doutoramento
Aparece nas colecções:TD - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
phd_rcstagliaferre.pdf2,25 MBAdobe PDFThumbnail
Ver/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.