Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/9653
Title: Sofrimento nos Enfermeiros em cuidados de saúde diferenciados
Authors: Poças, Pedro Miguel Alves
Advisor: Raposo, José Jacinto Branco Vasconcelos
Monteiro, Maria João Filomena Dos Santos ...
Keywords: Sofrimento
Enfermeiros
Issue Date: 30-Jul-2019
Abstract: A investigação que apresentamos tem como tema central a avaliação do sofrimento nos enfermeiros de cuidados de saúde diferenciados, um tema ainda pouco estudado, mas com um forte potencial de implicação na vida pessoal e profissional dos enfermeiros e com repercussões na segurança e qualidade dos cuidados. Tivemos como objetivos principais desta investigação adaptar e validar a Caregiver Grief Scale para enfermeiros de cuidados de saúde diferenciados; avaliar o sofrimento nos enfermeiros em cuidados de saúde diferenciados e sua relação com variáveis sociodemográficas e profissionais. A amostra do estudo foi constituída por 461 enfermeiros, de um centro hospitalar da região norte de Portugal, tendo os dados sido recolhidos através de um questionário constituído por duas partes; a primeira centrada na caracterização sociodemográfica e profissional e a segunda relacionada com a Caregiver Grief Scale para avaliação do sofrimento. Face aos objetivos definidos, estruturámos a presente investigação sob a forma de dois artigos: “Validação da Caregiver Grief Scale (CGS) para Enfermeiros de Cuidados de Saúde Diferenciados” e “Avaliação do Sofrimento nos Enfermeiros em Cuidados de Saúde Diferenciados”. No primeiro artigo, procedemos à adaptação e validação da Caregiver Grief Scale, tendo sido validada num modelo unifatorial, sendo o sofrimento o seu único fator. Este é um modelo equilibrado com 11 itens de fácil aplicação, com bons índices de ajustamento, assegurando fidelidade e um bom índice de consistência interna. Este modelo revela-se adequado, consistente e robusto para a avaliação do sofrimento nos enfermeiros de cuidados de saúde diferenciados. No segundo artigo, explorámos a ligação entre o sofrimento e as variáveis sociodemográficas e profissionais nos enfermeiros de cuidados de saúde diferenciados. No final deste artigo fomos capazes de mesurar o sofrimento dos enfermeiros de cuidados de saúde diferenciados. Os resultados deste estudo mostraram que as variáveis sociodemográficas, sexo e ser ou não cuidador informal têm influência sobre o sofrimento nos enfermeiros de cuidados de saúde diferenciados. Das variáveis profissionais, verificámos que: o departamento onde presta cuidados, a faixa étaria a quem presta cuidados, a experiência em prestar cuidados à pessoa em sofrimento/dor, a formação profissional e o tempo de serviço têm influência no sofrimento dos enfermeiros de cuidados de saúde diferenciados. Este trabalho de investigação visa colmatar uma lacuna de conhecimentos sobre a avaliação do sofrimento nos enfermeiros em cuidados de saúde diferenciados, procurando mesurar este fenómeno, bem como as variáveis sociodemográficas e profissionais que influenciam o sofrimento. Deste modo, pretendemos contribuir para a formulação de estratégias que possam minimizar o sofrimento dos enfermeiros, tornando o dia a dia das equipas de enfermagem mais produtivo e menos desgastante, mais propenso à satisfação no trabalho e menos exposto ao burnout. Lidar com o sofrimento, e com as suas consequências, é uma responsabilidade que deverá ser dividida entre os enfermeiros, as suas chefias e as instituições.
The present research work has as its central subject the assessment of grief in differentiated healthcare nurses, an issue that has not been fully explored, but with a high potential of interference in nurses' personal and professional lives and also with repercussions on the safety and quality of the caregiven. The main goals of this research were to adapt and validate the Caregiver Grief Scale for differentiated health care nurses; to assess the grief in differentiated health care nurses and its relation to sociodemographic and professional variables. The study sample consisted in 461 nurses from a hospital in the northern region of Portugal. The data were collected through a two-part survey; the first part focused on sociodemographic and professional description and the second one was related to the Caregiver Grief Scale for grief assessment. In view of the set goals, the present research was structured in the form of two articles: "Validation of the Caregiver Grief Scale for Differentiated Care Nurses" and "Assessment of Grief in Differentiated Care Nurses". In the first article, one proceeded with the adjustment and validation of the Caregiver Grief Scale. We validated the Caregiver Grief Scale in a unifatorial model, grief being its only factor. This is a balanced model with 11 easy to apply items with good rates of adjustment, ensuring fidelity and a good index of internal consistency. It is also adequate, consistent and robust for the assessment of grief in differentiated healthcare nurses. In the second article, the link between grief and the sociodemographic and professional variables of differentiated healthcare nurses was explored. At the end of this article, it was possible to measure the grief of differentiated healthcare nurses. The results of this study showed that the sociodemographic variables, gender and being or not being an informal caregiver has influence on the grief of differentiated healthcare nurses. From the professional variables it was found that: the care department, the care provider's age range, the experience of caring for the person in pain / grief, the professional training and the length of service have an influence in the grief of differentiated healthcare nurses. This research aims to fill a knowledge gap on the assessment of grief in differentiated health care nurses along with seeking to measure this phenomenon and the sociodemographic and professional variables that influence grief. This way one intends to contribute for the strategy formulation that can minimize the grief of nurses, making the nursing teams’ daily lives more productive and less exhausting, more prone to job satisfaction and less exposed to the burnout. Dealing with grief, and its consequences, is a responsibility that should be shared among nurses, their supervisors and institutions.
Description: Mestrado em Enfermagem da Pessoa em Situação Crítica
URI: http://hdl.handle.net/10348/9653
Document Type: Master Thesis
Appears in Collections:DESMC - Dissertações de Mestrado
TD - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Pedro Miguel Alves Poças.pdf1,43 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.